Diário do País
BANNER A FORÇA DA VERDADE
Windows 11
Microsoft EDGE
SAÚDE

Urina preta: síndrome causada por ingestão de peixe é rara mas pode ser fatal, alerta infectologista

Peixes como tambaqui, badejo e arabaiana, além de crustáceos como lagosta, lagostim e camarão, podem desenvolver a toxina.

15/07/2021 13h49Atualizado há 3 dias
Por: Diário do País
Fonte: Diário do País, com Bárbara Wanderley
Infectologista Fernando Chagas explicou sobre os riscos da doença. Foto: reprodução
Infectologista Fernando Chagas explicou sobre os riscos da doença. Foto: reprodução

A síndrome de Haff, também conhecida como síndrome da urina preta, voltou a chamar a atenção após uma jovem de 27 anos ser internada na UTI com a doença, depois de jantar comida japonesa. O caso ocorreu em Goiânia. O infectologista Fernando Chagas, do Hospital Clementino Fraga, em João Pessoa, explicou ao ClickPB que a doença é rara, e pode ser fatal.

A síndrome é causada por uma toxina que pode ser encontrada em determinados frutos do mar. Peixes como tambaqui, badejo e arabaiana, além de crustáceos como lagosta, lagostim e camarão, podem desenvolver a toxina. O problema ocorre quando o peixe ou crustáceo não é acondicionado de forma adequada. No caso dos peixes crus, como sushis e sashimis, o problema pode ser mais comum, mas também é possível ingerir a toxina mesmo de peixes cozidos.

Essa toxina atua destruindo fibras musculares e geralmente acaba prejudicando os rins, que tentam filtrar a toxina para expulsá-la do corpo. Por isso, a urina da pessoa afetada torna-se escura e daí a doença ser conhecida como síndrome da urina preta. ''A urina fica preta mesmo. Geralmente o paciente vai para a UTI. É bem grave, ainda bem que é uma doença rara'', disse o médico.

Ele destacou que a única forma de prevenir a doença é estar atento à forma como os frutos do mar são acondicionados. Eles não devem ficar expostos à temperatura ambiente. A toxina, no entanto, não tem cheiro ou sabor, portanto não é possível prever quando um alimento está contaminado. 

''Se a pessoa sentir dor muscular intensa de 24 a 48 horas depois de comer os frutos do mar, e se a urina escurecer, deve procurar imediatamente um médico'', orientou o infectologista.

O tratamento consiste principalmente em manter a hidratação do paciente, para diminuir a concentração da toxina e facilitar a eliminação pela urina. Há casos, porém, em que os rins são tão comprometidos que é necessário hemodiálise.

''Já vi caso de paciente que ficou preso à hemodiálise pro resto da vida'', comentou Fernando Chagas. Ele destacou, porém, que essas consequências dependem da gravidade de cada caso.

 

Redes sociais do Diário do País:

@portaldiariodopais

@brunodelimabr

 

*** 

 

Em tempos de coronavírus e desinformação, o DIÁRIO DO PAÍS continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Compartilhe nosso conteúdo.

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários
João PessoaJoão Pessoa - PB João Pessoa é um município brasileiro, capital e principal centro financeiro e econômico do estado da Paraíba. Com população, estimada em 2018, de 800 323 habitantes, a capital paraibana é a oitava cidade mais populosa da Região Nordeste e a 23ª do Brasil, sendo, no seu estado, o município mais populoso.
João Pessoa - PB
Atualizado às 12h32
28°
Muitas nuvens Máxima: 27° - Mínima: 22°
31°

Sensação

22 km/h

Vento

70%

Umidade

Fonte: Climatempo
ITech 10
FAKE NEWS
ESTÁCIO
VOCE REPORTER
Municípios
FLAMENGO
Últimas notícias
VATICAN NEWS
Mais lidas
ANUNCIE 4
Anúncio