DIARIO DO PAIS 1 ANO
Diário do País
Windows 11
SAIBA MAIS

Startup recebe R$ 16 milhões para buscar os melhores profissionais de tecnologia

Os fundadores da startup, Paulo Monteiro, Michel Nigri e Pedro Barros, são os mesmos de outra edtech, a Responde Aí.

31/08/2021 03h01Atualizado há 6 dias
Por: Diário do País
Fonte: Canaltech
Foto: imagem meramente ilustrativa.
Foto: imagem meramente ilustrativa.

Após oito meses de operação, a Driven recebeu nesta segunda-feira (30) R$ 16 milhões em rodada Seed, liderada pela gestora de capital de risco Iporanga Ventures. A startup é uma escola profissionalizante com cursos intensivos de programação web, e seu objetivo é formar futuros líderes no setor de tecnologia.

A empresa, sediada no Rio de Janeiro, adotou um modelo de negócios chamado ISA (acordo de divisão de renda, da sigla em inglês). Funciona asssim: em vez do aluno pagar o curso normalmente todo mês, ele só reembolsa a Driven quando conseguir um emprego, mas oferecendo 17% do seu salário até chegar ao valor total da formação. O curso dura nove meses, com mensalidade de R$ 2 mil. Ao adotar esse modelo de negócios, a Driven diz apostar na qualidade de sua seleção de alunos para escolher os com maior potencial de ser aceito pelo mercado.

O aporte de R$ 16 milhões contou também com a participação dos fundos ONEVC, FundersClub e 3G Radar, além de investidores-anjo como Patrick Sigrist (iFood), Sergio Furio (Creditas) e Brian Requarth (VivaReal). Outros sócios e investidores da Driven são Arpex Capital (Stone), Daniel Castanho (Ânima Educação) e Pedro Thompson (Exame).

Os fundadores da startup, Paulo Monteiro, Michel Nigri e Pedro Barros, são os mesmos de outra edtech, a Responde Aí. Esta é uma plataforma de estudos focada em universitários de Engenharia e outros cursos de Exatas. Com a experiência anterior, o trio sentiu uma certa carência de encontrar bons profissionais de TI (tecnologia da informação), o que motivou o lançamento da Driven. A ideia é atuar na formação adequada deste setor.

"A falta de mão de obra especializada é um dos principais gargalos hoje para o desenvolvimento do ecossistema de inovação no Brasil. Iniciativas como a Driven trabalham para, além de suprir esse gargalo, fomentar a educação de jovens, abrindo portas para um nova geração de profissionais, potenciais líderes de empresas do presente e do futuro", diz Leonardo Teixeira, sócio da Iporanga Ventures.

Segundo a Associação Brasileira das Empresas de Tecnologia da Informação e Comunicação (Brasscom), os cursos superiores de tecnologia no país formam cerca de 46 mil alunos por ano, mas para suprir o déficit de contratações, seria preciso 70 mil profissionais por ano, ou 420 mil até 2024.

 

Redes sociais do Diário do País:

@portaldiariodopais

@brunodelimabr

 

*** 

Em tempos de coronavírus e desinformação, o DIÁRIO DO PAÍS continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Compartilhe nosso conteúdo.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.