Diário do País
DIARIO DO PAIS 1 ANO
Windows 11
JUDICIÁRIO

À Justiça, Petrobras admite corrupção que o PT sempre negou

Em recurso contra Palocci, estatal reconhece ‘existência de um esquema de corrupção’.

01/11/2021 15h30Atualizado há 1 mês
Por: Diário do País
Fonte: Diário do País, com Marcos Rocha

A Petrobras ingressou na Justiça para interromper a prescrição de processos contra Antonio Palocci.

Como se sabe, o ex-ministro é responsável pela delação das mesadas e mordomias do ex-presidente Lula da Silva (PT) financiadas por empreiteiras que superfaturavam contratos na petroleira.

Em seu pedido, a estatal deseja obter prazo maior para cobrar do delator o ressarcimento pela roubalheira. A manifestação da companhia, no entanto, é um duro golpe na narrativa petista que tenta apagar a corrupção na empresa pública.

“Dentre os diversos delitos identificados, foi comprovada a existência de um esquema de corrupção por meio do qual empreiteiras cartelizadas e empresas privadas não integrantes do cartel, contratadas para a execução de obras da Petrobras, acordavam o pagamento de um percentual dos valores dos contratos como propina, em troca do beneplácito de diretores e empregados de alto escalão à consecução de interesses das pessoas jurídicas junto à esta companhia estatal”, afirma a Petrobras em trecho da petição.

“Esses recursos eram recebidos por operadores financeiros – profissionais dedicados à lavagem do dinheiro – a mando dos ex-diretores e ex-empregados da Petrobras que, em seguida, promoviam a repartição do dinheiro entre os próprios agentes públicos, partidos políticos e agentes políticos”, acrescenta a Petrobras, de acordo com informações da coluna Radar.

 

PT nega

No mês passado, conforme noticiado pelo Conexão Política, a presidente nacional do PT, Gleisi Hoffmann, voltou a reafirmar a versão da sigla sobre os escândalos de corrupção descobertos pela força-tarefa da Lava Jato.

De acordo com ela, “não houve corrupção sistêmica” na companhia, apenas “atos ilícitos” praticados por “alguns” que delataram ou se autoincriminaram.

“A Petrobras é uma empresa de capital aberto, opera inclusive na Bolsa de Valores de Nova York, e esses contratos estavam corretos. Portanto, não houve desvio de dinheiro da Petrobras. Isso é importante dizer, porque uma mentira fica sendo repetida e vai criando nas pessoas a ideia que não deve ser criada”, justificou.

 

Redes sociais do Diário do País:

@portaldiariodopais

@brunodelimabr

 

*** 

Em tempos de coronavírus e desinformação, o DIÁRIO DO PAÍS continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Compartilhe nosso conteúdo.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.