Diário do País
DIARIO DO PAIS 1 ANO
Windows 11
DESCRÉDITO

Você se lembra? Em 2018 principais pesquisas também afirmavam que Bolsonaro perderia para presidente

A vitória de Bolsonaro em 2018 foi a cartada final para demonstrar que pesquisas não vencem eleições. A vontade do povo, através dos votos nas urnas, sempre prevalecerá em detrimento de institutos de pesquisas e da imprensa marrom do Brasil.

03/11/2021 18h37Atualizado há 1 mês
Por: Diário do País
Fonte: Diário do País

As pesquisas que estão circulando, sobretudo a divulgada nessa quarta-feira (03/10), dão conta de que o presidente do Brasil, Jair Messias Bolsonaro (sem partido), perderá as eleições presidenciais do ano que vem para Luiz Inácio Lula da Silva (PT).

Num passado não muito distante, em 2018, os principais institutos de pesquisas do Brasil, bem como a grande mídia, estampavam que Bolsonaro (na época filiado ao PSL), seria derrotado no 2º turno para Haddad (PT) e até mesmo Ciro Gomes (PDT).

Com tantas pesquisas sendo divulgadas, sempre colocando o ex-presidente Lula como o maioral e vencedor do pleito de 2022, podemos confiar nessas pesquisas? A resposta é uma só: não!

O Diário do País reuniu alguns prints da vergonha e do descrédito dos institutos de pesquisas nas eleições de 2018 para presidente. Como acontece atualmente, todos ganhavam, menos Bolsonaro. 

A vitória de Bolsonaro em 2018 foi a cartada final para demonstrar que pesquisas não vencem eleições. A vontade do povo, através dos votos nas urnas, sempre prevalecerá em detrimento de institutos de pesquisas e da imprensa marrom do Brasil. 

Confira os prints das pesquisas de 2018 publicadas em vários sites e jornais do Brasil:

 

Fonte: Diário do País 

Redes sociais do Diário do País:

@portaldiariodopais

@brunodelimabr

 

*** 

Em tempos de coronavírus e desinformação, o DIÁRIO DO PAÍS continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Compartilhe nosso conteúdo.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.