Windows 11
DIARIO DO PAIS 1 ANO
Diário do País
LÍDER CATÓLICO

Arcebispo Viganò pede que a aliança anti-globalista se una contra a nova ordem mundial

Em uma carta aberta datada de 16 de novembro, o arcebispo Carlo Maria Viganò fez um apelo a todas as pessoas de fé para se unirem contra as forças das trevas do globalismo.

23/11/2021 19h53Atualizado há 6 dias
Por: Diário do País
Fonte: Diário do País, com Daily Expose
Arcebispo Viganò. Foto: arquivo
Arcebispo Viganò. Foto: arquivo

Viganò, o ex-núncio papal nos Estados Unidos, apelou à criação de uma “aliança antiglobalista” para se unir contra a ameaça de um golpe de estado global - a Nova Ordem Mundial. 

Ele disse: “Se o ataque é global, a defesa também deve ser global”.

Daily Expose relata: Em seu apelo ao mundo lançado há poucos dias, Viganò propõe que a “aliança anti-globalista” se organize contra “um golpe de estado global , no qual uma elite financeira e ideológica conseguiu tomar o controle de parte de governos nacionais, instituições públicas e privadas, a mídia, o judiciário, políticos e líderes religiosos.”

“Eu convido governantes, líderes políticos e religiosos, intelectuais e todas as pessoas de boa vontade, convidando-os a se unirem em uma Aliança que lance um manifesto antiglobalista”, disse Viganò.

 

Viganò enviou seu vídeo e apelo ao The Gateway Pundit e uma cópia de ambos está abaixo.

Abaixo está o texto completo do apelo do arcebispo, o original do qual pode ser encontrado no The Gateway Pundit .

Pelo Arcebispo Carlo Maria Viganò, 16 de novembro de 2021

 

Há dois anos, assistimos a um golpe de estado global , no qual uma elite financeira e ideológica conseguiu tomar o controle de parte dos governos nacionais, instituições públicas e privadas, mídia, judiciário, políticos e líderes religiosos.

    Todos esses, sem distinção, tornaram-se escravos desses novos senhores que garantem poder, dinheiro e afirmação social aos seus cúmplices.

    Os direitos fundamentais, que até ontem eram apresentados como invioláveis, foram espezinhados em nome de uma emergência: hoje uma emergência sanitária, amanhã uma emergência ecológica, e depois uma emergência internet.

Este golpe de estado global priva os cidadãos de qualquer possibilidade de defesa, uma vez que os poderes legislativo, executivo e judiciário são cúmplices da violação da lei, da justiça e do propósito para o qual existem.

    É um golpe de estado global porque este ataque criminoso contra os cidadãos se estende a todo o mundo, com raríssimas exceções.

    É uma guerra mundial, onde os inimigos são todos nós, mesmo aqueles que inconscientemente ainda não compreenderam o significado do que está acontecendo.

    É uma guerra travada não com armas, mas com regras ilegítimas, políticas econômicas perversas e limitações intoleráveis ​​dos direitos naturais.

Organizações supranacionais, financiadas em grande parte pelos conspiradores deste golpe de estado , estão interferindo no governo de nações individuais e nas vidas, relacionamentos e saúde de bilhões de pessoas.

    Estão fazendo isso por dinheiro, certamente, mas ainda mais para centralizar o poder e estabelecer uma ditadura planetária.

    É a Grande Reinicialização do Fórum Econômico Mundial, a Agenda 2030 das Nações Unidas.

É o plano da Nova Ordem Mundial, em que uma República Universal escraviza a todos e uma Religião da Humanidade cancela a Fé em Cristo.

    Diante deste golpe de estado global , é necessário formar uma Aliança Internacional Anti-Globalista, que reúna todos aqueles que querem se opor à ditadura, que não têm a intenção de se tornarem escravos de um poder sem rosto, que não querem cancelar sua própria identidade, sua própria individualidade, sua própria fé religiosa.

Apelo aos governantes, líderes políticos e religiosos, intelectuais e todas as pessoas de boa vontade, convidando-os a se unirem em uma Aliança que lance um manifesto antiglobalista, refutando ponto a ponto os erros e desvios da distopia do Novo Mundo Ordenar e propor alternativas concretas para um programa político inspirado no bem comum, nos princípios morais do Cristianismo, nos valores tradicionais, na proteção da vida e da família natural, na proteção dos negócios e do trabalho, na promoção da educação e da pesquisa e no respeito pela Criação.

    Esta Aliança Anti-Globalista terá que reunir as Nações que pretendem escapar do jugo infernal da tirania e afirmar sua própria soberania, formando acordos de colaboração mútua com Nações e povos que compartilham seus princípios e o anseio comum por liberdade, justiça e bondade.

    Deverá denunciar os crimes da elite, identificar os responsáveis, denunciá-los aos tribunais internacionais e limitar seu poder excessivo e influência prejudicial.

Terá de impedir a ação dos lobbies, sobretudo lutando contra a corrupção dos funcionários do Estado e dos que trabalham na indústria da informação e congelando o capital utilizado para desestabilizar a ordem social.

    Em nações onde os governos são subservientes à elite, eles poderão estabelecer movimentos de resistência popular e comitês de libertação nacional, incluindo representantes de todos os setores da sociedade que propõem uma reforma radical da política, inspirada no bem comum e firmemente oposta ao projeto neo-malthusiano da agenda globalista.

    Convido todos aqueles que desejam defender a sociedade cristã tradicional a se reunirem em um fórum internacional, a ser realizado o mais breve possível, no qual representantes de várias nações se reúnam para apresentar uma proposta séria, concreta e clara.

    Meu apelo é feito aos líderes políticos e aos governantes que se preocupam com o bem de seus cidadãos, deixando de lado os antigos sistemas de partidos políticos e a lógica imposta por um sistema escravizado ao poder e ao dinheiro.

 

    Eu convoco as nações cristãs, de leste a oeste, convidando Chefes de Estado e as forças saudáveis ​​das instituições, da economia, do trabalho, das universidades, da saúde e da informação a se juntarem a um projeto comum, rompendo os velhos sistemas e pondo de lado as hostilidades que são desejados pelos inimigos da humanidade em nome de divide et impera .

Não aceitamos as regras do nosso adversário, porque são feitas precisamente para nos impedir de reagir e organizar uma oposição eficaz e contundente.

    Eu conclamo as Nações e seus cidadãos a se aliarem sob a Cruz de Nosso Senhor Jesus Cristo, o único Rei e Salvador, o Príncipe da Paz. In hoc signo vinces .

    Vamos fundar esta Aliança Anti-Globalista, vamos dar-lhe um programa simples e claro, e vamos libertar a humanidade de um regime totalitário que reúne em si os horrores das piores ditaduras de todos os tempos.

    Se continuarmos a atrasar, se não compreendermos a ameaça que se abate sobre todos nós, se não reagirmos organizando-nos numa resistência firme e corajosa, este regime infernal que se instala por toda a parte não poderá deter-se.

    E que Deus Todo-Poderoso nos ajude e nos proteja.

 

 

   + Carlo Maria Viganò, Arcebispo, Ex Núncio Apostólico nos Estados Unidos da América, 16 de novembro de 2021

 

Conheça o Jornal BRASIL DA HORA: www.brasildahora.com 

Redes sociais do Diário do País:

@portaldiariodopais

@brunodelimabr

 

*** 

 

Em tempos de coronavírus e desinformação, o DIÁRIO DO PAÍS continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Compartilhe nosso conteúdo.

* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.