Microsoft EDGE
BANNER A FORÇA DA VERDADE
Diário do País
RISCO IMINENTE

Governo emite alerta de 'risco hídrico' e vê chance de racionamento de energia

Segundo o Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico, o setor elétrico brasileiro está enfrentando o pior regime de chuvas, entre setembro e maio, em 91 anos

28/05/2021 18h23Atualizado há 3 semanas
Por: Diário do País
Fonte: Diário do País, com Correio 24 Horas

O governo federal, através do Comitê de Monitoramento do Setor Elétrico (CMSE), emitiu pela primeira vez um alerta de "risco hídrico" por conta do período de poucas chuvas e de seca mais severa na região sudeste e centro-oeste.

Com a estiagem, que geralmente se estende até o mês de outubro, há a possibilidade de um racionamento de energia. O Serviço Nacional de Meteorologia também emitiu um alerta de emergência hídrica com prazo até setembro para a bacia do Paraná, que afeta as regiões sudeste e centro-oeste.

De acordo com dados do Operador Nacional do Sistema elétrico (ONS), o volume de chuvas no Brasil foi menor do que o normal para o mês de maio, e deve reduzir mais ainda nos próximos meses.

Segundo o CMSE, o setor elétrico brasileiro está enfrentando "o pior regime de chuvas, entre setembro e maio, em 91 anos", o que pode resultar em uma crise nacional de abastecimento.

Especialistas no setor consultados pela jornalista Ana Flor, confirmaram que há risco real de cortes no fornecimento de energia entre setembro e outubro, e que medidas como o retorno da bandeira vermelha e reajuste no valor-referência para preços no mercado livre de energia já deveriam ter sido colocados em prática.

O regime de racionamento da energia elétrica foi um dos momentos traumáticos mais marcantes do início do milênio no Brasil, em 2001, na reta final do governo de Fernando Henrique Cardoso (PSDB).

Enquanto ainda não há necessidade desta medida, equipes da Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) estão trabalhando com a possibilidade outras estrategias, como o racionamento de água para poupar os reservatórios da hidrelétricas e a suspensão da emissão de autorização para irrigantes.

Até o momento, Bento Alburquerque, ministro de Minas e Energia do Brasil, ainda não se pronunciou oficialmente sobre a situação, no entanto, segundo reportagem do Valor, ele teria ficado irritado ao ser surpreendido sobre a gravidade da crise, que não pode ser contornada com o acionamento das usinas térmicas.

Redes sociais do Diário do País:

@portaldiariodopais

@brunodelimabr

***

Em tempos de coronavírus e desinformação, o DIÁRIO DO PAÍS continua produzindo diariamente informação responsável e apurada pela nossa redação que escreve, edita e entrega notícias nas quais você pode confiar. Assim como o de tantos outros profissionais ligados a atividades essenciais, nosso trabalho tem sido maior do que nunca. Compartilhe nosso conteúdo.

Nenhumcomentário
500 caracteres restantes.
Seu nome
Cidade e estado
E-mail
Comentar
* O conteúdo de cada comentário é de responsabilidade de quem realizá-lo. Nos reservamos ao direito de reprovar ou eliminar comentários em desacordo com o propósito do site ou com palavras ofensivas.
Mostrar mais comentários